Música

Relembre quem foram as Destiny’s Child: o girl group que lançou Beyoncé

Na foto estão Kelly Rowland, Beyoncé Knowles e Michelle Williams, integrantes do conjunto Destiny's Child.

Sucesso, polêmicas e reviravoltas marcaram a trajetória do girl group


Com mais de 50 milhões de discos e singles vendidos, lançar a Beyoncé, não foi a única realização memorável do grupo. As donas das vozes de “Say my name” e “Survivor” tem uma trajetória cheia de hits, boas coreografias e confusões em família.

A conturbada história das Destiny’s Child começou em 1990, em Houston, no Texas quando a pequena Beyoncé Knowles conheceu LaTravia Roberson aos nove anos de idade em um teste.

Uma amizade entre as duas floresceu e Mathew Knowles, pai de Beyoncé, resolveu agenciar as meninas. Dois anos depois, Kelly Rowland foi convidada a se juntar a dupla. Com a entrada de LeToya Luckett, em 1993 a primeira formação do grupo estava montada.

Pai de Beyoncé com as Destiny’s Child

Agora que o grupo estava formado, elas precisavam escolher um nome. Foram opções: Cliché, Something Fresh e The Dolls. Tina Knowles mãe de Beyoncé e (péssima) estilista do grupo, achava que nenhum deles combinava com a personalidade das garotas.

Um dia Tina lia a Bíblia, e resolveu abrir onde guardava a foto de suas duas filhas Beyoncé e Solange Knows (cantora) e na página tinha a palavra “Destiny”. Ao contar para seu marido Matthew, ele acrescentou o “child”.


Mãe de Beyoncé com as Destiny’s Child

Porém as coisas não foram tão rápidas para as meninas. Elas esperaram cinco anos até que a gravadora se interessasse em gravar o seu primeiro álbum. O grupo assinou contrato com a Columbia Records e lançou o primeiro single “Killing Time” em 1997.

Em 1998 lançaram o primeiro álbum intitulado “Destiny’s Child”, e com o sucesso da música “No No No”, que chegou ao topo das paradas de R&B, o disco vendeu mais de um milhão de cópias.

O Destiny’s Child sem perder tempo entrou em estúdio novamente para aproveitar o hype do primeiro CD. Logo no ano seguinte lançaram o segundo álbum “The Writing’s on the Wall”, que ficou entre os dez nas paradas norte-americanas. A música “Bills, Bills, Bills” tornou-se o hit pop No. 1 e o segundo em R&B, e de quebra receber duas indicações ao Grammy.

“Say My Name”, foi a segunda música do álbum a virar um hit. Ela foi topo nas paradas R&B e Pop dos Estados Unidos.

Porém como nem tudo é perfeito, junto ao auge das Destiny’s Child, vieram as primeiras polêmicas. LaTavia Roberson e LeToya Luckett estavam insatisfeitas com os serviços de empresário pai de Beyoncé. As duas detestavam a sua personalidade controladora e a forma que ele favorecia a sua filha.


LaTravia|Kelly Rowland|Beyoncé|LeToya

Após muitos dias de show LaTravia e LeToya pediram para fazer uma parada em casa para buscar mais roupas e continuar com as viagens. Mas nunca retornaram para busca-las.

Quando o vídeoclipe da música “Say My Name” foi lançado, havia algo muito inesperado. Ele foi gravado com duas substitutas, Michelle Williams e Farrah Franklin. LaTravia e LeToya, que foram pegas de surpresa, processaram o empresário e a nova formação. Mas como nem toda polêmica é negativa, isso fez com que o disco vendesse nove milhões de cópias.

Em 2000, apenas cinco meses depois de ingressar no grupo, Farrah Franklin deixou as Destiny’s que permaneceu com apenas três integrantes. Naquele mesmo ano, elas lançaram “Independent Woman, Part. 1” , uma música para trilha sonora do filme “As Panteras”, que ficou por 11 semanas como número um das paradas musicais.

Michelle Williams|Beyoncé|Kelly|Farrah

Um ano depois as filhas do destino receberam os seus primeiroas Grammy’s, um de melhor canção R&B com “Say My Name”, e outro de melhor performance de grupo.

Destiny’s Child no Grammy em 2001

“Survivor”, o terceiro álbum da banda, foi lançado em 2001, com Beyoncé como produtora e compositora da maioria das canções. O disco pegou #1 na Billboard no seu debut. Sua venda foi em torno de seis milhões de cópias.

Em dezembro do mesmo ano, após o lançamento de um álbum especial de Natal, “8 Days of Christmas”, elas anunciaram que se dedicariam a projetos solos.

Logo em 2002, Michelle Williams lançou o disco, “Heart to Yours”. Beyoncé primeiramente estreou no cinema com o filme “O Homem do Membro de Ouro”, e em 2003 abalou as estruturas da indústria com o seu primeiro álbum solo “Dangerously In Love”, que levou o Grammy de Melhor Álbum R&B Contemporâneo.

Em 2004, as cantoras anunciaram lançariam outro álbum em conjunto. O sexto disco da carreira do grupo “Destiny Fulfilled” teve como singles “Lose My Breath”, “Soldier”, “Cater 2 U” e “Girl” e vendeu mais de sete milhões de cópias.

Michelle Williams e Kelly Rowland no show da Beyoncé no intervalo do Super Bowl em 2013

Depois do anúncio do fim do grupo em 2006, elas voltaram a se apresentar juntas e aparecer nos videoclipes uma das outras, algumas vezes. As presentações mais marcantes de reunions das Destiny’s foram a participação de Michelle Williams e Kelly Rowland no Super Bowl da Beyoncé em 2013 e no Coachella 2018.

Michelle Williams e Kelly Rowland na apresentação da Beyoncé no Coachella 2018

Nos siga nas redes sociais: InstagramFacebook Twitter

Anúncios

0 comentário em “Relembre quem foram as Destiny’s Child: o girl group que lançou Beyoncé

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: